Pesquisar

Quarto de criança tem que ser lúdico!

A criança precisa ser estimulada a desenvolver sua criatividade e o seu próprio quarto tem que ser o ambiente ideal para incentivá-la em suas escolhas e fantasias

publicidade
É fato. Crianças crescem rápido, porém isso não pode ser um empecilho para que os pais criem ambientes que não sejam lúdicos e compatíveis com a idade dos pequenos. O que normalmente ocorre é que há um investimento alto no quartinho do bebê e, quando a criança cresce, o quarto dela acaba sendo criado para durar até a adolescência. Sem uma identidade infantil, a criança acaba não sendo estimulada a desenvolver a criatividade, a decisão de escolha, as descobertas que são comuns dessa fase da vida e que, não sendo aguçadas, certamente vai impactá-la no futuro.

Segundo a designer e psicóloga Fabiana Visacro, cada faixa etária tem uma demanda diferente e é preciso criar no quarto, que é o mundo da criança, recursos adequados e apropriados para cada idade. “O desenvolvimento da criatividade dos pequenos é o item principal a ser levado em conta na hora de se projetar o quartinho. É importante estimular as brincadeiras com brinquedos não estruturados, aqueles que são feitos pelas próprias mãos, pois estimulam a imaginação delas. O aprendizado da criança passa muito pela emoção e afetividade, então, é importante você relacionar os livros e os brinquedos com elementos íntimos e amorosos, colocando dentro do quarto fotos da família, da mãe grávida, do pai com a mãe, da criança ainda bebê, tudo isso faz muita diferença pra eles. Fotos são adornos atemporais e são perfeitos para compor o quarto da criança”, recomenda.

Decoração de Quarto Infantil - Com nichos e prateleiras coloridas, Jacqueline Ortega cria um espaço funcional, mas lúdico para a criança. Foto: Henrique Queiroga

A designer de ambientes Jacqueline Ortega destaca também a importância de um mobiliário adequado para os pequenos. “Quando a criança faz um aninho, e começa a dar os primeiros passos, é hora de propor um novo layout para o pequeno explorador. O mobiliário deve ser alterado, abrindo espaço para a criança interagir e se locomover. Ela precisa de um espaço para colorir e, também, guardar os brinquedos que começam a ficar maiores e, aí, podemos utilizar nichos e prateleiras no ambiente”, cita.

Com relação aos brinquedos, a arquiteta Vanessa Figueiredo faz uma importante ressalva. “É muito importante trocá-los de acordo com a idade adequada, pois este estímulo ajuda a criança a desenvolver suas funções motoras, cognitivas e emocionais conforme cada fase”, indica.

Com uso de plotagem, tapetes e adornos, a arquiteta Vanessa Figueiredo criou um quartinho super divertido. Foto: Jomar Bragança

Cristina Bahia, decoradora e proprietária da Villa Maria, loja especialista em quartos, indica elemento que podem ser usado no espaço da criança e que pode deixá-lo mais infantil. “Existem inúmeros elementos que podem ser usados no quarto de forma a deixá-lo mais lúdico, mas destaco os elementos decorativos, como quadros e adornos, que tem um custo interessante e um alto poder estético para criar uma atmosfera mais infantil”, explica.

E se o fato de não se criar um quarto mais lúdico para as crianças se esbarra na questão econômica, as quadros profissionais tem uma importante dica: uso de papel de parede. Segundo Fabiana Visacro, ele pode ser trocado sem grandes custos e ser inserido no ambiente com desenhos e elementos de acordo com o crescimento da criança.

Para Jacqueline Ortega, o papel de parede é um aliado na decoração, pois quando se cansa dele ou a criança entra em uma nova fase, o tema pode ser mudado para algo mais atual. De acordo com Vanessa Figueiredo, o papel de parede proporciona praticidade para as transformações do quarto, assim como adesivos, almofadas e cobre leitos. Já Cristina Bahia salienta a enorme variedade de temas infantis, a facilidade de colocação e retirada do papel como o grande destaque desse recurso.
publicidade
publicidade